segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Propaganda Enganosa


Não escondi de ninguém o quanto eu estava empolgado com essa edição do Oscar. Como eu adoro Anne Hathaway e como achei que ela tinha se entrosado perfeitamente com o James Franco. Amei os comerciais que circularam na TV americana e na internet, e fiquei in fire depois que vi o suposto vídeo de um ensaio dos dois dançando com o figurino de Grease. Mas a cerimônia foi das mais sonolentas em anos. Não teve entrosamento e quase nenhuma apresentação ao vivo (fazer clipe, eu também faço).  Não sei vocês, mas na minha terra isso chama propaganda enganosa.

A premiação começou me dando dois sustos: Alice no País das Maravilhas levou direção de arte (onde o favorito era O Discurso do Rei) e A Origem ficou com melhor fotografia (tirando a única provável estatueta de Bravura Indômita). Felizmente as coisas se normalizaram a partir daí e eu consegui alcançar o pessoal do bolão. Os prêmios principais foram bem fáceis de prever. Muita gente tinha apostado em David Fincher como melhor diretor, mas eu sabia que a Academia ia ser coerente, dando os dois prêmios principais pro mesmo filme. Ganhou o rei gago.


Adorei ver o talento de Natalie Portman finalmente reconhecido. E dizem que ela está levando multidões ao cinema. O povão está indo ver Cisne Negro e, por mais que irrite os hipsters cinéfilos descoladszzz, isso é ótimo. Colin Firth também ganhou o Oscar, que merecia desde o ano passado, quando viveu o professor homossexual de Direito de Amar. Toy Story 3 levou melhor canção original e melhor animação quando na verdade deveria ganhar todos os prêmios do universo, mas a Pixar não conseguiu fazer um combo e emplacar Dia e Noite como melhor curta animado.

O pior é que sempre vivo um dilema nessas premiações. Porque o certo seria torcer pelos filmes e atores que eu considero merecedores do prêmio. É o que toda pessoa apaixonada por cinema faria; mas acabo sempre torcendo mesmo pros meus palpites nos bolões. Terrível, eu sei. Passo a cerimônia inteira torcendo pra Academia ser o mais previsível possível e quando a festa acaba, olho pra trás e reclamo por ter sido previsível demais.

4 comentários:

Luiza disse...

Eu esperava muuuuito mais do James (a intima). Achei ele mega travado, nervoso, não sei. Talvez eu tenha ido com muita sede ao pote mesmo, pq tenho uma super paixão platônica por ele, haha...mas enfim....

Léo Tavares disse...

eu faço a mesma coisa. aposto em quem tem mais probabilidade de levar o prêmio e fico torcendo por isso, com a devida culpa por saber que os merecedores geralmente não são reconhecidos.
mas pra fazer jus à arte existe Cannes, Berlim e Veneza.

PS: seu blog é muito bom!

:o)

Karine Lima disse...

Oi, adorei teu blog
estou seguindo,
visita o meu e se gostar
siga tbm! Um beijo.

livreelouca.blogspot.com

Ana Lu disse...

Eu também esperei mais da apresentação, mas no geral, gostei da noite, e babei em cada vestido da Anne, hahaha.
Fiquei emocionada com os prêmios de Natalie e Melissa, e adorei que Colin ganhou e ainda disse no discurso (sem gaguejar, hehe) que agora sim sua carreira iria deslanchar, hahahaha.
Beijos!