quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

O Retrato de Lana Del Rey


Em meados de outubro do ano passado o mundo descobriu Lana Del Rey. Foi assim, de repente. De uma hora pra outra, links com suas músicas e vídeos começaram a circular pela web a uma velocidade de muitos quilômetros por hora. Só sabíamos que seus lábios eram exageradamente carnudos e seus clipes, exageradamente bacanas. Com um empurrãozinho da internet (e um muito provável empurrãozão do seu pai milionário) Lana Del Rey fechou com uma gravadora, apareceu no Later With Jools Holland, lançou um álbum e fincou o salto alto no concorrido cenário da música pop internacional. Resta saber se o caso passa ou não de um amor de verão.

Boa parte do sucesso repentino de Lana se deve à imagem que ela ofereceu. Seus vídeos trazem um forte apelo nostálgico e nacionalista, com montagens de cenas do cinema clássico hollywoodiano mescladas com filmagens da própria cantora em uma câmera de má qualidade. A série de referâncias ao american way of life, seus jeans, óculos de coração e video games, acompanhada de uma tendência romântica autodestrutiva, fazem da música de Lana Del Rey um retrato perfeito da geração fast food. Justamente a geração que a acolheu tão bem.


Mas antes de ser Lana Del Rey ela era apenas Elizabeth Grant. E dizem que boa parte do que Lana mostra hoje (incluindo seus lábios) é fruto de uma construção minunciosa por parte de seus produtores e empresários. Seria a moça uma cantora pré-fabricada? Ou o botox, silicone e nome falso são apenas novas formas de apresentar um conteúdo que já era bom, mas nunca teve a visibilidade que merece? Em todo caso, parece que o mito em torno da aparência tem feito bem à carreira de Lana Del Rey. Seu primeiro álbum mal foi lançado e já aparece na lista de mais baixados do iTunes.

Born To Die veio, principalmente, confirmar o talento de Lana como compositora. Suas músicas são todas de execução muito agradável e melodias surpreendentemente viciantes. As letras, em geral, tratam de romances mal resolvidos ou do cotidiano de uma menina rica com certo fascínio por drogas, fama e crime.


Em matéria de amor, Lana Del Rey fez Escola Adele de Sofrimento. Em Dark Paradise ela diz uns absurdos do tipo: "Sempre que fecho os meus olhos / é como um paraíso negro / Ninguém se compara a você / tenho medo de que você não esteja me esperando do outro lado", colocando no mesmo refrão tristeza irremediável, insegurança amorosa e vida após a morte.

Entretanto, a música que mais me impressionou no disco foi uma balada chamada Radio, que eu achei assustadoramente autobiográfica (e, por isso mesmo, preocupante). O refrão dela diz algo mais ou menos assim: "Agora minha vida é doce como canela / como um p*ta sonho em que estou vivendo / baby, me ame porque estou tocando no rádio / Como você gosta de mim agora?". Não sei vocês, mas eu achei muito triste a pessoa alcançar o sucesso, realizar seu sonho, tocar no rádio e fazer tudo isso com o úncio objetivo de recuperar um amor que nunca teve.


Além dessas duas que acabei de citar, Born To Die conta com as já famosas Video Games, Blue Jeans e Off  To the Races, sem falar na dramática canção que dá título ao álbum. Fiquei chateado que a minha música preferida até então, Kinda Outta Luck (que tem uma pegada super tarantinesca), não apareceu no disco. Fiz o favor de colocar o vídeo ao final do post.

Para 2012, Lana promete uma turnê mundial mas já avisou que "é melhor você não esperar muito do show. Quem escuta a minha música sabe que eu sou melhor compositora e cantora de estúdio". E realmete, a bela não manda bem ao vivo. Tenho sempre a impressão de que sua voz vai falhar ou ela vai dar uma desafinada daquelas, coisa que, felizmente, nunca acontece.

9 comentários:

cássia vicentin disse...

Eu nunca tinha ouvido falar dela (pode me crucificar, eu mereço). Mas, fiquei super curiosa depois de ler seu post! Vou ouvir...
Beijos!

Guilherme Spigolan disse...

Eu a acho maravilhosa, muito boa cantora, bem no estilo Adele (que eu também gosto), mas, realmente, ela é beeem ruinzinha ao vivo e isso pode ser comprovado vendo aqui: http://www.youtube.com/watch?v=2I62I3r2f-8 onde ela canta Blue Jeans (minha favorita) no Saturday Night Live. Ela fica mudando muito o tom da voz e isso é bem estranho e chato.

Adorei o texto, parabéns!

Natália das Luzes disse...

eita, nunca tinha ouvido falar.

eu tenho uma prima que canta muito bem. muito bem mesmo. mas eu tenho certeza que ela nunca irá fazer sucesso se não fizer um banho de shopping (no mínimo). porque, infelizmente, a música é mercadoria, e você só consegue vender o seu produto se a embalagem for atrativa.

e eu, romântica, fui fazer faculdade de música... como se isso valesse de alguma coisa hoje em dia :P

um beijo!

Caótica disse...

Acho que você falou tudo! Minha impressão sobre ela foi muito boa (melhor falar entre parêntesis, mas a acho melhor que Adele).
A grande sacada é que ela reverencia muito a juventude, gosto disto. Talvez ela tenha sido um pouco montada... mas quem hoje em dia é puro, sem modificações emprestadas de outros?

Gostaria que ela não ficasse tão famosa... isso estraga um pouco. Exemplo clássico: Coldplay =//

Doug disse...

Lana del Rey. É estranho que as pessoas do Brasil não a conheçam tão bem ou mesmo nunca tenham ouvido falar dela, ela já é bem conhecida na Europa. Vi uma capa de uma revista européia que dizia que ela veio para superar Adele, fiquei horrorizado. Por mais que ela tenha tomado um banho de loja, ela já falhou uma vez, e está na sua segunda tentativa de conquistar o mundo do pop. Tudo porque ela não possui uma coisa que Adele tem, e de sobra: voz. Ultrapassar uma cantora talentosíssima como Adele sem sequer fazer um show decente ao vivo sinceramente fica muito difícil. Lábios carnudos não conquistam nada se não sair um som de qualidade deles.

Pris disse...

"Muito boa cantora". RISOS.

Jefferson Reis disse...

Sinceramente, não me importa se ela é uma montagem ou não, gostei do resultado.A voz dela me encanta, assim como sua beleza (montada ou não). Não gosto de Adele, mas gosto muito de Lana Del Rey.

Jorge Ramiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
{lisa cristine} disse...

Adorei a forma que você escreveu e adorei conhecer hoje o seu blog, foi uma surpresa pra a mim.

http://trezedigitos.blogspot.com.br/