sábado, 4 de dezembro de 2010

O Filho Pródigo


Quando apaguei o Frenesi, senti um alívio enorme. Não porque o blog tinha se tornado um fardo na minha vida (o que também é verdade), mas porque sou o tipo de pessoa que se arrepende de quase tudo; e imaginar que a internet estava lotada de besteiras que poderiam arruinar minha imagem era algo que não me deixava muito à vontade. Tudo bem que eu não ajudo. Se você conhece alguma rede social, pode estar certo de que participo dela. Mas participo mesmo: respondo fóruns, escrevo recados, comento fotos, etc. Sou muito eficiente quando o assunto é perder tempo.

Acontece que há poucos meses descobri que não sou relevante. Essa foi A descoberta de 2010, eu considero. Então, por mais que eu tenha medo de manchar minha reputação (risos escandalosos), tenho total consciência de que 98% das pessoas que leem este blog estão cagando pros meus problemas. Por isso, resolvi voltar. Porque gosto desse constrangimento público que eu promovo e já estava muito irritado de só poder escrever em 140 caracteres e de não ter uma webpage digna pra colocar no meu cartão de visita pra colocar no meu perfil do Facebook.

Tenho pensado muito na parábola do filho pródigo de uns dias pra cá. Porque sempre achei que eu fosse o filho bom. O que não sai de casa, não gasta o dinheiro do pai com farras e meretrizes, não volta arrependido e não ganha uma festa no final. Sério. Meu irmão sempre foi terrível na escola, então uma vez meu pai prometeu pra ele um teclado da Yamaha, se ele ficasse pelo menos um semestre sem notas vermelhas. E adivinhem... Ele não conseguiu. Chegou a minha vez de ir pro Ensino Médio e eu, que sempre fui bom aluno, pensei que ia rachar de ganhar presente. Só que meu pai não me ofereceu presente nenhum. Durante muito tempo cultivei essa mágoa. Pensei que eu tinha que ter sido um aluno bem ruim e tirado notas bem baixas, pra ter a chance de ganhar um presentão mais tarde.

Mas hoje, depois de tudo o que aconteceu, começo a achar que talvez eu seja o filho mau da história. Não estou falando sobre gastar toda a grana do meu pai com comida e meretrizes. Só acho que as coisas não estão saindo conforme o planejado. E me pego pensando, afinal, qual dos dois filhos foram mais felizes? O que fez tudo certinho e ficou na fazenda ajudando o pai ou o que foi pro mundo, se ferrou, se arrependeu e ganhou uma festa?

"20. E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
21. E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.
22. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés;
23. E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos;"
Lucas 15:20-23

O importante é que, de um jeito ou de outro, vai ter bezerro no final!

PS1: O banner é assinado por Dave Coelho, maranhense e cinéfilo, que fez um trabalho no mínimo genial.

PS2: Sejam bem-vindos! Vocês já sabem como funciona, né? Esse blog não tem tema definido, o blogueiro não tem responsabilidade e as coisas vão piorar muito daqui pra frente. Eu não recomendo uma próxima visita.

16 comentários:

Thiago Paulo disse...

Aeeeeeee, que bom que está de volta, estava fazendo falta. Ficou muito legal o blog, e esse desenho do Dave, hein? Show!

Abraço!

ofastigio disse...

E eu jurando que ia ser o primeiro!

Que bom que voltou! Já cheguei a desfazer um blog também, passei por quase a mesma coisa que você, mas isso é nossa droga, nosso cantinho no mundo.

Dave Coelho disse...

Curiosamente o primeiro texto do novo blog tem uma citação... bíblica? hahaha
Muito bem vindo de volta, Gabriel.
E eu fico honrado com um garrancho meu ali no topo.
:*

Henrique Leite disse...

Parabéns pro Dave pela arte! E, devo dizer que o teclado era da Yamaha... E hoje ele ta comigo!

Gabriel Leite disse...

Mas não pelos mesmos méritos, né? :P

Caroline disse...

Que legal ter vc de volta na blogosfera.Confesso que estava sentindo falta dos seus escritos,rsrs.

=*

Jéssica disse...

Sabe, tinha achado que era brincadeira sua quando disse que ia apagar o frenesi, não acreditei. Mas enfim... que bom que está de volta. Gosto muito da sua maneira de escrever.

Abraços

Gabriela Petrucci disse...

Ah, que legal!
Benvindo de volta, Gabriel! Como a Caroline e o Thiago já disseram, você faz falta na blogosfera!
O desenho do Dave ficou fantástico! :D

Beijos e até a próxima!

Anna Vitória disse...

Ei, que bom que voltou! Adorei o novo nome e o banner ficou genial! Esse filme é um mega guilty pleasure, como resistir a Meryl Streep andando com a cabeça virada ao contrário?
E o bom filho à casa torna, não é o que dizem? Bem vindo de volta.
beijo!

Iza L. disse...

SEM COMENTÁRIOS pra te contar o quão feliz e surpresa fiquei ao ver o nome novo! excelente! nem preciso dizer né, que amei? sou apaixonada por esse filme e por seus escritos! e que lindo o trabalho do Dave! muito muito de parabéns!

muito bem vindo de volta :*

Anônimo disse...

A festa é pra brindar o fim da perdiçao, vc ainda nao voltou dela, jah te disse bem vindo ao boom hahahah, quando voltar o Henrique toca pra vc no Yamaha tah kkkkkkkk nao gostei do desenho, mas eu nem sabia que era de um filme, a Mari acabou de me falar kkkk, ainda tenho um longo caminho cinéfilo pela frente, conto com kkkk

Luiza disse...

EEEee, que delícia você de volta! E meu, sei exatamente como vc se sente! depois a gnt conversa sobre isso! rsrs
seja bem vindo :)
sucesso!

Lari Reis disse...

Vim comentar nesse post aqui porque é nesse que "cai bem" dizer que é muito bom ter você de volta.

Ainda não consegui entrar na lista de seguidores por erros aqui do meu blogger ;/ Em breve estarei lá.

Naiara Morena disse...

É isso o q a "anônima" falou. Bem vindo ao BOOM!!! Daqui pra frente, é verdade, só piora mas vc, longe de estar voltando pra casa, acabou de sair. Quanto dinheiro vai gastar com as meretrizes, com a comida etc é vc quem vai saber. Se vai dar só uma voltinha no quarteirão ou se vai esperar ficar lascado pra voltar. Alguns de nós precisam apanhar, outros aprendem sem isso, mas tudo faz parte! E n dá pra comparar os dois filhos, as coisas são como tem q ser...

bjos!!!

Naiara Morena disse...

ah! AMEI o desenho!!!

Matheus Rufino disse...

apenas um comentário: "meretrizes" hahaha