quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Como Ser Babaca em Transportes Públicos

Acho que ando de ônibus desde os cinco anos, quando a minha avó me levava pra tomar sorvete, em Belo Horizonte, e íamos sentados nos assentos preferenciais. Eu achava tão legal sentar naquele carro gigante e balançante que decidi comprar um ônibus quando fosse rico. E eu tinha o projeto de montar uma casa lá dentro, etc, de tanto que amava. Pra vocês verem que pobreza é o tipo de coisa que nasce com a gente. Enfim. O tempo passou e aos dez anos eu já tinha sacado que não existe melhor forma de ser humilhado, irritado, esmagado e bulinado que andando de ônibus. Primeiro porque é desconfortável, segundo porque não sei o que acontece, mas as pessoas viram bichos quando entram naquele lugar.

Hoje fui dar aula bem cedo, quando os ônibus ainda estavam lotados. Sempre levo uma mochila de uns cinco quilos nas costas (porque tenho muito TOC relacionado a ser prevenido) e o mínimo que espero da sociedade é que alguém que está sentado se ofereça pra levar minha bolsa. GENTE, É LEI! Juro que não tô pedindo muito. Ok. Estava eu, com a coluna já dolorida, e tinha uma Dona toda esparramada sentada na minha frente. Eu lançava uns olhares, pra ver se ela percebia o tamanho da minha carga e se tocava, mas parecia inútil. Foi aí que tive uma ideia genial.

Deixei a alça lateral pendurada em um só braço, de modo que a mochila ficasse dando leves pancadas no rosto da Dona. Ela logo se incomodou, como o previsto:

- Moço, a sua mochila, tá bat...

E eu, dando uma de desentendido, jogo a mochila no colo dela.

- Ah, muito obrigado, querida (sorriso_dissimulado_ativar) - e sigo viagem.

7 comentários:

Gabriela Petrucci disse...

Que cara de pau, Gabrieeeel! MeuDeus, ashudhasidhisa!
Eu NUNCA teria coragem de fazer isso!
Tive minha primeira experiência com ônibus essa semana, e nem foi tão emocionante. :T
Como assim você está dando aula? -acuriosa

Beijos

' bell disse...

é regra, eu sempre coloco na barriga porque aí fica exatamente na frente da pessoa.. melhor ainda quando alguém passa atrás pra eu poder empurrar mais um bucado.

ah, e eu ainda quero ter um ônibus.
Mas com direito de prioridade em todos os assentos e bem mais perfumado.

Luiza disse...

Eu ainda lembro da primeira vez que se ofereceram pra segurar minha bolsa no ônibus. Eu não sabia desse costume e achei aquilo muito estranho. Neguei, é claro. hahahaha

Thiago Dantas disse...

Melhor que o post - e olha que ele tá sensacional - são os comentários. HUAHUASUHSAHUAUH. Gente.

Manuel disse...

O melhor lugar pra ser bulinadA, né? Eu, pelo menos, nunca fui. E você já sabia dessa triste realidade aos dez anos? Precoce você. Bom, eu nem andei de ônibus, acho, entre os sete e os catorze.

ofastigio disse...

Quando estou de mau humor não pego nada de ninguém. Odeio ser educado nessas horas... hauahuahah...

Eu tenho sorte, pois onde trabalho e moro sempre vou sentado, e acaba sobrando pra galera que vai em pé.

Altas técnicas pra carregarem a mochila, cada um tem a sua. A sua é a mais cara de pau!

Matheus Rufino disse...

nunca gostei de segurar as coisas pros outros no ônibus ou ter minhas coisas[ui] seguradas. sempre andei de ônibus, desde que me lembro por gente, não fui nada privilegiado nesse sentido de transporte. quando era pequeno até que gostava também, como você, queria ter um só pra mim quando crescesse, haha, mas a medida que fui crescendo fui tomando uma antipatia enorme do negócio, e hoje sou chatíssimo com isso, continuo pobre e precisando de andar de onibus, mas só pego se tiver lugar pra eu sentar, se não, espero o próximo, saio mais cedo, vou a pé... o que for preciso, detesto onibus cheio! só numa emergência muito grande mesmo que pego.