quarta-feira, 10 de abril de 2013

Domando Sonhos como Quem Doma Leões


Realmente não sei porque alguém se importaria com minha última noite de sono ou com minha nova mania de dormir sob dois travesseiros dispostos na cama em formato de L. Não sei, mas continuarei insistindo até que me provem que não ter um blog é mais legal do que ter. Além do mais, se continuar nesse ritmo, com o número de visitas e comentários caindo diariamente, em pouquíssimo tempo realizarei meu sonho de ter um blog anônimo sem precisar ter um blog anônimo.

Mas adentremos o universo onírico, porque dia desses senti que podia controlar meus sonhos. Calma. Primeiro é preciso explicar o absurdo que tem sido dormir. Não sei se tem a ver com as férias que acabaram agora e que bagunçaram meus horários ou com um verdadeiro amadurecimento neurológico, mas tenho passado cerca de duas horas todas as noites, assim que eu deito na cama, pulando de um sonho pro outro e acordando no meio deles, cheio de horror e alívio. Não é como se eu realmente dormisse. Permaneço lúcido na maior parte do tempo. Consciente de que meu corpo está seguro na cama enquanto meu cérebro voa serelepe por universos mais ou menos conhecidos e deturpados. Mas se me deixo levar um pouco, a segurança some e o sono se torna imprevisível e incontrolável, como é da natureza deles.

Esse estágio de quase sonho, quase realidade, é extremamente favorável ao autocontrole mental. Eu só preciso pensar em uma situação específica, em primeira pessoa e com o maior número possível de detalhes, por algum tempo que, gradualmente, a imaginação vira sentido. É assustador e delicioso, como tudo que transcende a lucidez.

Lembro que na noite passada acordei muito agitado e querendo chorar. Eram três da manhã e eu não parava de ter esses pequenos sonhos lúcidos. Comecei a pensar que era o começo de algo. De uma comunicação espiritual, talvez, ou de uma esquizofrenia. Resolvi sair do quarto pra tentar me acalmar, mas quando acendi o abajur azul, percebi que nunca tive um abajur azul.

9 comentários:

trsl disse...

então, gosto daqui. embora seja uma anônima em um quase blog anônimo...
ps: esquizofrenia mandou um beijo HAHA

Amanda Tracera. disse...

Cada vez que volto ao seu blog pra "me atualizar" nas postagens, acho que você está um pouco mais ansioso. Vê se relaxa, Gabriel!! O mundo não vai te comer vivo, mas às vezes parece que você pensa que sempre vai. E para de tentar controlar até os seus sonhos, pô! Até o único momento do seu dia que devia ser pra esquecer tudo e não pensar, você deu um jeito de fazer ser como você quer. O mais legal de sonhar é não precisar se preocupar com o que está acontecendo, sabe? UHEUEHEUHU Vou ficar aqui pedindo (quase) secretamente pro seu autocontrole se tornar nulo, ou, melhor ainda, negativo. ;) Beijos.

Gabriela, disse...

Pior é quando estamos em um pesadelo, sabemos que aquilo não é real, que na verdade estamos só dormindo e mesmo assim não conseguimos interromper o pesadelo! Que agonia!
beijo

Bruno Medeiros disse...

Eu estou aqui. Quase sempre. Mas estou!
Então sem esse papo de visualizações e comentários caindo (e eu sei muito bem o que é isso!!!) tudo que tu precisa é que eu tenho teu blog nos meus favoritos e, por obrigação, o visito uma vez por semana.

Sonhos Lúcidos são obras de um ser divino - digo, sonhos foram feitos para não se ter controle, mas, nos sonhos lúcidos temos apenas um meio controle, quase que por instinto... Então sair, entrar, aprender nos sonhos é como um vídeo game sem over.

Ah, e sair do quarto no escuro é uma dádiva, luzes foram feitas para perturbar os sentimentos.

Abraços do seu antigo visualizador e novo comentarista.

Mente Hiperativa disse...

Já vivi essa experiência de controlar os sonhos, não sei nem se isso tem um nome específico, porém acredito que seja uma vivência de estado alterado de consciência, nem sono, nem vigília, algo no meio destes dois. E é interessante porque parece mesmo que estamos narrando/interpretando uma história, inclusive me pego discutindo comigo mesmo. Não acho que estejas se tornando esquizofrênico, afinal não se esqueça que nem tudo é doença! Nem tudo é doença!

Há teorias espirituais que afirmam que o espírito se desprende do corpo durante o sono, na maioria das vezes estaríamos em sono profundo e por isso não nos recordaríamos do nosso passeio ~em espírito~ noturno. Dizem ainda que há uma certa indução na qual podemos nos manter conscientes diante do desprendimento do espírito que então passa a vagar com a nossa mente mantida consciente. Será que é isso que se passa e portanto mantemos certo controle de nossos sonhos?

De qualquer forma acho bom você providenciar um abajur azul pra evitar qualquer confusão mental! Rsrsrs

Sofia A. disse...

"mas quando acendi o abajur azul, percebi que nunca tive um abajur azul." haha, que genial!
Eu andei, por muito tempo, principalmente em épocas de cursinho e etc, vivendo algo parecido (sonos turbulentos) sem a diversão de poder controlar meus quase sonhos. Uma pena, deve ser muito divertido.
Um beijo!

Fernando Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sara disse...

Espero que em algum momento de ver este trabalho também não tenho muito tempo agora, porque eu estou cuidando bem do meu cão, porque ele estava doente e por isso que eu alimentándolo Frontline

Rafaela Silva disse...

Ótimo!! adorei teu blog, rapaz.