quinta-feira, 12 de setembro de 2013

John Lennon Reinventado


Não é como se eu não tivesse nada a dizer; é mais como se eu soubesse que ninguém quer ouvir. E na verdade eu até sei que alguém no mundo quer, que todo blog tem 100 leitores, etc, mas sentir eu não sinto.

E quando você fica muito tempo sem escrever, a tendência é ficar ainda mais. Isso porque a gente percebe que não faz muita diferença.

E agora entra a parte da pretensão literária.

Sempre achei lindo encher a boca pra dizer que não escrevo por dinheiro, fama ou reconhecimento. Que não acredito que a literatura, ou seja lá o que isso for, tenha alguma função. Que a vantagem dela é justamente essa de não servir pra bosta nenhuma. Que só assim ela vai conseguir ser verdadeira.

Mas esse discurso, que parece tão liberal, bonito e artístico, não sustenta a realidade (ou o ego) de escritor nenhum. Primeiro que não existe arte verdadeira (e eu não quero entrar nesse mérito agora, porque o blog tá abandonado há tempo demais pra já voltar assim, com filosofia de boteco) e segundo que escrever é um ato de comunicação e fica impossível se comunicar sem esperar por uma reação do interlocutor.

Quando você fica muito tempo sem escrever e ninguém reclama, significa que você pode ficar mais um pouco. Foi o que eu fiz. E só voltei agora porque estou numa dessas fases mega produtivas, em que tudo o que eu faço é passar horas organizando as coisas que ainda preciso fazer (sem nunca de fato fazê-las).

15 comentários:

Larie disse...

Depois desse texto, como não comentar? Me senti culpada por ser leitora fantasma, Gabriel, pois sei bem o vazio que dá quando você escreve e ninguém te dá um feedback. Existe essa necessidade intrínseca.

"Sempre achei lindo encher a boca pra dizer que não escrevo por dinheiro, fama ou reconhecimento". Pois é, agora quero ver quem pensa assim verdadeiramente. O mundo é feito de expectativas, com escritores não pode ser diferente, certo?

Beijo =)

Felipe Fagundes disse...

Com certeza, até os escritos mais despretensiosos têm alguma pretensão. Eu penso que se é você quem quer impressionar, se existe essa preocupação (estou sendo influenciado por sua descrição "ego gigante"), então você deve tentar se superar ou entregar aquilo que os leitores querem ler. Sei lá, devem ter certos tipos de textos que geram mais comentários que outros, se isso é o que importa.

Mas aí você entra naquele dilema de escrever o que quer ou escrever o que os outros querem.

desejodeconsumo disse...

Volte a escrever! Seu blog é um dos que mais me identifico e mais gosto de ler!

Bruno Medeiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Medeiros disse...

Hoje eu acordei com dor de ouvido, de novo. Ela tinha começado ontem, e foi horrível, cara. Parece que tem um oceano dentro de mim e uma vaso em formato de bola ao redor da minha cabeça (tipo esses que usam como aquário para aqueles peixinhos dourados/alaranjados e feios).

Eu me sinto cansado. E irritado. E sonolento também. Mas quando me deito pra dormir, me acordo. Tô me sentindo improdutivo. Acredita que eu comecei a minha academia segunda-feira passada? (o que é extremamente irônico, pois eu me gripei na terça)
E entre tantas insônias e reclamações eu encontrei teu blog. E, cara, eu o li todo!

Pode parecer ridículo, mas foi o seguinte: comecei a lê-lo pelos posts escritos no mês de setembro (porque é neste mês que eu tive o desgosto de nascer) e achei tudo muito legal. Aí depois fui para dezembro e fui subindo, subindo e subindo. Eu também sou blogueiro e não sei se gostaria de ficar sabendo que alguém leu todos os meus posts. Mas foda-se, tô sem sono e com vontade de te escrever.

Li tuas reclamações e tuas preocupações. Fiquei curioso com alguns posts mal-acabados e bati palmas para os bem escritos. Embora tu ache que ninguém queira te ouvir (o que me lembra os meus velhos tempos de Emo HardCore), acredite, tem gente que quer! (leia-se: eu).

Então fale que eu escutarei. Essa dor de ouvido vai durar alguns dias e eu ainda continuarei com a minha insônia, então, por favor, faça uma boa ação e me tire do tédio.

Abraços de um leitor assíduo.

Nicole Collino disse...

Primeiramente, gostaria de destacar que a frase desse gif é de uma música do Simple Plan chamada When I'm Gone hahaha

Enfim, eu me identifico com 98% dos seus textos e tento comentar sempre. Às vezes a caixa de comentários fica aberta no meu pc durante uns três dias, até que saia alguma coisa. Acho que muitas vezes os leitores sofrem da mesma preguicinha que os escritores de escrever.

Nem sei o que eu tô falando aqui. Resumidamente, continue escrevendo e eu continuarei tentando comentar sempre.

Bj

Bianca Machado disse...

Acho que depois do comentario do Bruno Medeiros não tem-se mais o que fazer se não comentar e usar como dele o meu comentário. E seu blog é realmente muito bom, alias, o Crimes por Extenso também (tadinho dele, so lonely, façam as pazes por favor).

Gui Amorim disse...

Se todo leiro fantasma como eu fizesse um comentário para massagear o ego do escritor, talvez não precisasse esperar mais de 1 mês para um novo texto seu. rs

Ranilson Reis Aguiar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ranilson Aguires disse...

Seu blog é viciante. Acompanho-o há mais de um ano, apesar de ser um leitor fantasma também! =|

Gabriel Leite disse...

Nossa, gente, obrigado! Não imaginei que alguém fosse se manifestar e nem que apareceriam uns comentários tão intensos quanto o do Bruno, que me deixou todo besta, e o do Gui, que me divertiu um bocado. Pronto. Agora acho que já rola de escrever por mais uns meses sem dar chilique. :)

Del Santana disse...

Caramba, acabo de conhecer o seu blog e me deparo com um texto que parece ter tirado de mim tudo o que penso sobre "ah, eu não me importo se tenho muitas visitas ou não, publico num blog apenas porque gosto".

Mas, olha, não abandone isso aqui...

Erika Leite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Marcílio Henrique disse...

Volta a postar. Seus leitores, fantasmas ou não, esperam.

Isa disse...

Cara, eu podia ter escrito esse texto, assim, AGORA.

Mas é isso aí: eu voltei, você voltou, a gente voltou. Que bom ;)