terça-feira, 20 de setembro de 2011

Looser Like Me


Antes de dar minha opinião sobre Glee 3D, queria reclamar de duas coisas:

1. Todas as cópias são dubladas. Todas. Não é como se eu fosse contra o direito dos preguiçosos de ver o filme com o áudio todo cagado, mas uma coisa é dar essa opção, outra coisa bem diferente é obrigar todo mundo normal e alfabetizado a assistir o filme assim. Sério. Mas eu nem vou argumentar aqui, porque o Pablo Villaça já fez isso muito bem, dia desses. Leiam.

2. Por que diabos estão tratando Glee como High School Musical? Chega a ser ofensivo! Não sei se a culpa é dos fãs, incapazes de se controlar, ou se os blasés do Twitter não conseguem mesmo ver uma coisa legal fazendo sucesso sem criticar (tome como exemplo o clipe delícia dA Banda Mais Bonita da Cidade). Só sei que é um comportamento ridículo. Porque Glee pode não ser a melhor série no ar atualmente, mas é o primeiro musical pra TV que dá certo depois de décadas! E isso é inquestionável. Tudo bem. Ela é cheia de defeitos, tem episódios vergonhosos e alguns clichês completamente evitáveis. Tudo isso é verdade. Por outro lado, as músicas são muito bem selecionadas, as versões, em sua maioria, são ótimas, os atores são competentes e a proposta é boa. Então não entendo o recalque. Não entendo essa necessidade de parecer acima do populacho, porque Glee agora passa na Globo e, minha nossa, tem pobre assistindo, deve ser um lixo!

Enfim.

Gostei do filme (que na verdade é um show intercalado com trechos de bastidores e uma espécie de documentário com estudantes que se identificam com a série). Achei a parte documental bastante fraca, mas pode ser culpa da dublagem. Já as apresentações são muito boas, mas fiquei paranoico, tentando descobrir quem tava usando playback e quem tava cantando de verdade, o que me tirou completamente a concentração.

Amanhã a terceira temporada começa nos EUA. E ela vai contar com a presença do vencedor daquele The Glee Project (um reality show que, sozinho, foi responsável pelos momentos mais felizes do meu último mês - e por aí vocês imaginam quão empolgante tem sido minha vida).

7 comentários:

Marlon disse...

Na reclamação n°2 vc resumiu quase tudo que penso muito bem! Odeio nego que só assistiu um episódio, ou nenhum, e mete o pau na série dizendo que é infantilóide e boba qnd na verdade é o contrário. Como prova, temos o ep. "Grilled Cheesus" na 2ª temp. Td bem que os musicais deixam tudo mais "alegre" e abre margem pra pré julgaments, mas comparar com HSM é sacanagem! HASUSHISIUSAIUA

Rafa disse...

Quero tanto ver esse filme. Vi o trailer e chorei RIOS, imagina só quando ver o filme mesmo. Glee é aquele seriado que a gente não esquece, né. É um daqueles seriados que te dão mais força e mais conselhos do que um psicólogo. The Glee Project também foi o meu motivo de vida nesses últimos três meses de recesso e confesso que estou louca para que amanhã chegue e veja os ganhadores (!) fazerem o que fazem de melhor.

Comparar com HSM é rídiculo, mas ok. Depois de um tempo, a gente aprende a ignorar certas críticas ;)
Beijos.

Mariana Lopes disse...

Na boa mesmo, prefiro 500 vezes filmes legendados a filmes dublados, mas acho que se o filme for realmente bom, o fato de ele ser dublado não vai torna-lo ruim. Só uma opinião bem minha, porque eu acho meio que absurdo quando um filme impecável leva o nome de ruim só porque é dublado. Acho esse negócio de legenda um detalhe que, às vezes atrapalha um pouco, mas que não chega a estragar o filme.

Giiu disse...

Eu gostava de Glee bem antes de começar a modinha e a passar na Globo (o que, aliás, me entristeceu muito...) e foi totalmente decepcionada com a falta de opção, que fui ao cinema ontem, com mais dois amigos que também acompanham a série.

Curtimos muito a "parte do Show", mas o documentário rendeu muitas gargalhadas... rs!

A voz da Santana foi motivo de sarro entre a gnt e eu tbm fiquei boa parte das apresentações, tentando descobrir quem tava dublando e quem tava cantando enquanto dançava sem ofegar.. rs!

sobrefatalismos disse...

Até pouco tempo atrás, eu estava fazendo parte de um coral. Glee, naturalmente, era referência. Mas não curto muito aquilo que os seraidos adolescentes norte-americanos tem a oferecer. Acho tudo muito comercial. Abraços.

Isadora disse...

ADORO Glee, e confesso que comecei assistir ao Project sem muita fé, mas me apaixonei logo de cara. Meu SONHO é participar de um concurso de calouros!

Gabriel Leite disse...

Mariana,
um filme bom é um filme bom. Isso não vai mudar. Mas acredito que a nossa capacidade de concentração, boa vontade e percepção é completamente estraçalhada por uma dublagem mal feita.

Giiu,
a voz da Santana é mesmo constrangedora. Mas não entendi o problema de Glee passar na Globo, sabe? Tem que rever esse preconceito bobo aí com TV aberta. Por mais chato que seja o "povão" tendo acesso ao que você já viu há anos.