quinta-feira, 5 de julho de 2012

Apartamentos em Earlybird

A gente percebe que está na hora de morar sozinho quando começa a reparar demais nas casas e apartamentos dos outros. E umas coisas que nunca tinham passado pela sua cabeça tornam-se dúvidas relevantes. Quanto custa uma geladeira? Quanto custa um microondas? Quanto tempo dura um botijão de gás? Quanto tempo dura um rolo de papel higiênico? É possível pagar uma lavanderia todo mês? É possível pagar uma TV à cabo? Quantos pacotes de miojo se pode comer antes de uma infecção alimentar?

É engraçado, porque nunca mais consegui ver um filme ou série sem reparar nas moradias dos personagens e ficar classificando os cômodos em possíveis ou impossíveis. Por exemplo: nos filmes do Woody Allen os apartamentos são sempre lindos e aconchegantes, mas alguns deles são plenamente possíveis (contanto que você não ligue pras marcas e crie uma decoração genérica baseada somente no aspecto visual dos cômodos). Já nos filmes da Nancy Meyers todos os cenários parecem tirados direto de uma edição da Casa Cor. Aí é melhor nem perder tempo sonhando.

Girls, a série nova da HBO, conta a história de quatro meninas que moram em Nova York, mas, ao contrário das personagens de Sex and The City, nunca têm dinheiro, usam roupa de marca ou frequentam restaurantes badalados. São meninas que até pouco tempo eram sustentadas pelos pais, mas agora precisam arcar com aluguéis exorbitantes (estamos falando da capital do mundo), empregos ridículos e namorados igualmente ridículos. E a série é cheia desses apartamentos possíveis (considerando Brasília, não Nova York, é claro). Assisti a primeira temporada com os Classificados do lado.

E meio que comecei a organizar umas referências do que seria um apartamento ideal. Separei essas fotos do Tumblr e cheguei à conclusão de que minha casa dos sonhos é um lugar pequeno, cheio de livros e fumaça, com cores pouco saturadas e um filtro do Instagram.




4 comentários:

Marlon disse...

Achei que só eu fazia isso de ficar reparando nos apartamentos dos filmes procurando possíveis modelos e decorações do meu próprio futuro apartamento. Só que eu só penso na parte legal da coisa! Uma estante enorme pros livros e filmes, uma cama confortável, tv de mínimo 42",um telefone vermelho antigo pra fazer um charme, a vista da janela etc. A parte funcional, como área pra estender roupas eu deixo pra depois... uma coisa de cada vez!

Luana Natália disse...

Também sou de pensar na minha futura casa ou futuro apartamento, não sei bem. Só que esses pensamentos não podem sair da minha mente, porque da última vez que eu fui falar para minha mãe que queria morar sozinha quando completasse 18, só para ver como é que é, ela ficou muito magoada comigo e fez um enorme drama, "como você vai fazer isso comigo?". O que eu posso fazer? Morar sozinha, portanto, para mim, é uma coisa fora de cogitação.

Abraços =)

Akire Anitsirk disse...

Sou louca pra querer morar sozinha logo, só pensando na paz e tranquilidade que vou ter. Uma vez até comecei a calcular as coisas para saber se ia dar e... só se eu tivesse um emprego que pagasse melhor, por que só as contas básicas na época já davam o meu salário =/
Já a decoração... eu já tenho os móveis do meu quarto e o resto pode esperar xD

Laís disse...

juro pra você que achei a ideia do post muito criativo, o que me deu um boa impressão do seu blog =)

Eu nunca parei para reparar nessas coisas, mas é verdade. Sustentar uma casa não deve ser nem um pouco fácil. Cada detalhe que nem reparamos quando moramos com nossos pais...

Beijoos ;**