quarta-feira, 21 de novembro de 2012

W3


Eu não devia te dizer, mas essa chuva, essa janela, botam a gente comovido como o diabo.

Não tem parado de chover. E isso é bacana, porque alaga a W3 e oferece novas experiências de vida aos brasilienses (que, devido a evolução da espécie, já estavam criando duas corcovas maravilhosas nas costas), mas também é ruim, porque com a chuva vem essa camada espessa da mais pura melancolia disponível no mercado.

E tenho passado as noites mergulhado em mixtapes com as seguintes tags: sad, rain, heartbreak e loneliness...  E ouvindo Bookends até que o último traço de felicidade tenha sido exorcizado da minha alma. Porque tem isso, né? Além da chuva, que já pede pelas lágrimas, tem eu, que nasci com essa vocação absurda pro sofrimento.

Ando olhando pra baixo, pra não molhar os óculos, afundo o pé em poças oceânicas, chego molhado na casa dos alunos; e tudo vai ficando apático depois das dez. E eu perco a vontade de ler, de escrever, de estudar... Só consigo permanecer entre uma série e outra, maldizendo novembro e pensando no tanto de coisa que ainda tenho pra amanhã.

Os tênis estão todos molhados. E não tem sol pra secar.

3 comentários:

Mateus Freitas disse...

:(

Nih_x disse...

Gabriel, se psicóloga eu fosse, gostaria de te "estudar". Acho que dessa forma eu conseguiria entender um pouco mais de mim mesma.

Como não sou, fico sem me entender e achando que temos essas mesma vocação para o drama.

Beijos

Flá Costa disse...

a tal da história de chove lá fora, inunda aqui dentro. é uma máxima complicadíssima, mas rotineira. tudo bem ficar melancólico, isso nos torna humanos - mas que seja só de vez em quando e não sempre, pra não nos tornarmos tristes.

beijoca