sexta-feira, 10 de agosto de 2012

É Tudo Verdade


Quando você se propõe a escrever um blog pessoal, é óbvio que esperam, no mínimo, um nível Patrícia de exposição. E eu invejo demais essa gente que parece não dever nada pra ninguém. Essa gente com muita sinceridade e pouca censura. Porque só assim dá pra fazer um blog realmente pessoal e ganhar a confiança dos (cof cof) leitores.

E juro que a intenção era essa. De falar dos meus problemas e conflitos sem pensar muito nas consequências. Mas neuróticos não têm essa desenvoltura. A gente pensa num assunto e automaticamente surgem quinhentas projeções de todo mundo que vai ter acesso ao texto e de tudo que podem pensar; e sua voz vai ficando cada vez mais difusa. Acabo por desistir de tudo e falando de um filme aleatório cuja análise não me comprometa.

Minha vida anda muito estranha, com uns problemas perigosos demais para virem  a público. Então criei esse personagem, que sou eu mesmo, só que com pudores. Esse personagem que só consegue se comunicar através dos filmes e séries que viu, das músicas que ouve, dos retweets no Tumblr. Tudo pra tentar dizer alguma coisa que não ficaria bem em prosa.

Minha vida anda muito movimentada (no campo das ideias, que fique óbvio), mas ela já não tem espaço aqui. Aqui quem fala é esse personagem previsível e cuidadoso. E ele, ultimamente, não tem tido muito assunto.

9 comentários:

Anônimo disse...

Não se reprima
Não se reprima

Isaque Criscuolo disse...

Gabriel, acompanho seu blog assíduamente. No meu feed, seu blog está no topo de prioritários, dos blogs que preciso ler sempre que aparece uma nova postagem.

Esse post, especificamente, me tocou intensamente. Estou passando pelo mesmo momento de pensar muito antes de escrever e publicar alguma coisa. Conclui que esse é um momento importante para a vida de qualquer escritor. É talvez nessa fase que começamos a selecionar o que deve e o que não deve ser dito. O que é importante e o que não é. Não importa se personagens são criados e nos espelhamos neles em algumas situações. É assim, talvez, que nasce o talento de criar identidades complexas e tão difusas de si mesmo que te fazem sentir orgulho.

Continue a escrever sobre livros, séries, filmes, etc. Por trás disso tudo, tem você. No futuro vai ser um exercício bem bacana ler todas essas produções e só você entender o significado verdadeiro de tudo. Não desista. É tudo verdade!

Mateus Freitas disse...

Venho lendo seu blog há considerável tempo e gosto muito do seu estilo, de verdade. E ainda vi alguns covers seus no Youtube... Não me lembro muito bem, mas um foi de uma música da Ingrid Michaelson (que ficou muito bom, a propósito, mas enfim). Minha intenção era essa também, no começo, mas é um saco isso de vergonha. E extremamente eficaz também.

Renata disse...

Não te conheço, Gabriel. Na verdade acho que só falei com você uma vez pelo Skoob porque vivia me deparando sua resenha de Um Dia por todos os lugares, e por aqui eu devo ter comentado mesmo apenas umas três vezes, mas eu sempre te leio. E isso faz com que eu te conheça mesmo que seja só um pouquinho.

Esse é o impasse dos blogs pessoais. É, sou assim também, na verdade não me incomodo que pessoas que sejam desconhecidas para mim leiam as alucinações da minha mente, mas eu me incomodo com aquela pessoa que me olha nos olhos no dia seguinte. Nem me lembro de quantas vezes já entrei em pânico por ter apertado "publicar postagem" e só depois me dar conta do efeito dominó que isso poderia causar. Já sofri algumas consequências, mas sabe, tenho pensado em como é bom num futuro eu poder ter todos aquelas sensações ali registradas. Não sei se você já fez isso com um blog seu, ás vezes compensa ter eternizado as palavras só pra poder constatar o quanto a gente cresceu.

Acho que vi filmes do Woody Allen demais porque para mim, relationshit, sabe?Mas nós precisamos de ovos, né?É em Manhattan também que soltam a perola que diz que as pessoas são feitas para terem relacionamentos de durações diferentes.

E eu também não conheço nada do seu gosto musical, mas se eu pudesse ter a ousadia de te indicar uma música seria Blue Skies do Noah And The Whale.

Não que eu tenha experiência nesse assunto, e a esse ponto você já deve estar cansado de ler esse monte de besteira, mas sinta-se a vontade para me enviar um email, um comentário, um sinal de fumaça, whatever, só para falar sobre experiências fails de relacionamentos, ou sobre sua nova banda favorita, porque eu também compartilho da mesmo sonho de um apartamento lotado de livros. E se não quiser tudo bem também, mas se lembra que na vida tudo passa, tá?Ás vezes é bom você alguém que te lembre disso.

Dasty-Sama disse...

Entendo realmente o que você quer dizer. Blogs pessoais me fisgam completamente e uma vontade imensa surge dentro de mim, querendo escrever post no mesmo nível dos que leio. O problema é esse: quando penso em algo legal, lembro de todas as pessoas quer vão ler e some a vontade.
Queria ser como essas pessoas que você falou também, sem papas na língua, ou melhor, nos dedos.

Anônimo disse...

Eu queria ter coragem de postar tudo que eu tenho vontade de dizer no facebook. Mas como, se já sou sou criticado só por postar de vez em quando coisas do universo indie e pop, que me rendem no MÁXIMO um "curtiu" por post!!!

Mente Hiperativa disse...

Faz feito eu, inventa personagens, escreve em terceira pessoa, mistura verdade com loucura, bate tudo no liquidificador e vomita no blog. Bota uns temperinhos por cima pra disfarçar.

Eu escrevo tão misturado realidade e ficção que às vezes até eu acredito que vivi aquilo, ou que não vivi, enfim, eu nem sei se é verdade ou não. E se até eu me confundo, o que dizer meus (cof, cof) leitores.

Gostei do blog, parabéns!

Maria Luísa disse...

AMIGA MAIS AMIGA: Meu querido, você me conhece bem e sabe como enfrentei problemas bravos.Saiba que todo ser vivo tem consigo o Espírito Santo que nos dá uma força tridimencional para destruir as pedras de nossos caminhos.
Infelizmente, não usamos nem a terça parte desta força poderosa que Deus nos deu. Use a sua querido e tudo que o faz sofrer, se desfazerá como bolhas de sabão.
VOcê desde pequenino foi e é um Vencedor. Bjs...bjs...bjs...

Thais Bueno disse...

Sei exatamente o que você quer dizer. Já tive problemas com coisas que postei no meu antigo blog, e olha... é muito desconfortável rsrs