quinta-feira, 24 de março de 2011

Geração Multitasking


Desde os 12 anos, eu não sei o que é fazer uma coisa de cada vez. Aprendi a almoçar enquanto leio revistas, falar ao telefone enquanto jogo no computador, fazer dever de casa enquanto assisto televisão e, às vezes, tudo isso ao mesmo tempo. Com a internet (e principalmente o wi-fi) as coisas ficaram ainda piores. Por exemplo, qual foi a última vez que você, durante 30 minutos, se dedicou apenas a uma refeição? Sem celulares, iPods ou qualquer tipo de distração entre sua boca e a picanha (ou a pizza, ou a salada).  A ideia de que o tempo é curto demais pra ser desperdiçado com uma coisa só parece bem lógica, mas não passa de ilusão. E temos essa tendência de querer preencher ao máximo nossos segundos. Quer dizer, se eu ainda estou com uma mão livre, tem alguma coisa errada, né?

Na Info do mês passado, saiu uma reportagem exatamente sobre isso. E o texto caiu como uma luva, porque estou sentindo muita dificuldade em me concentrar nos estudos. Minha mente não era acostumada a passar 10 horas por dia com um único objeto de foco. A sensação é de desperdício. Como se eu estivesse usando um computador com 4GB de memória só pra escrever no Word.

"Há uma corrente de estudos que ganha força e defende a ideia de que nosso cérebro realiza bem apenas uma atividade cognitiva, que envolve pensa­mento e raciocínio, de cada vez. Aparentemente, apenas ouvir música não atrapalha a produtividade. Uma pesquisa ainda inédita que o especialista em gestão do tempo Christian Barbosa está realizando há um ano para avaliar o modelo mental das pesso­as em situações de multitarefa mostrou que o des­perdício médio de tempo ao realizar atividades simultâneas é de 35%. Ou seja, no lugar de ganhar tempo com a multitarefa, você perde. O estudo já conta com respostas de 2100 participantes. "É inte­ressante ver que apenas 2% das pessoas tiveram uma performance melhor com multitarefa, mas to­das cometeram algum tipo de erro", diz Barbosa, CEO da consultoria Triad PS. Você pode até conseguir fazer mais de uma coisa, mas provavelmente errará algo.

O fato é que não somos tão multitarefa quanto gostaríamos. Mas muitas pessoas se sentem força­das a dar conta de inúmeras tarefas ao mesmo tem­po. "Há uma grande pressão cultural para respon­dermos imediatamente quando qualquer pessoa entra em contato. Isso leva à rnultitareta", diz Clifford Nass, pesquisador na área de psicologia da Universi­dade de Stanford, nos Estados Unidos. Ele participou de um estudo recente para identificar o grau de rnul­titarefa das pessoas. As que disseram fazer muitas atividades simultâneas tiveram uma performance pior nos testes cognitivos e de memória quando comparadas às que se diziam monotarefa."

PS: Escrevi esse post com apenas duas abas abertas no navegador. Um recorde!

7 comentários:

Isaque Criscuolo disse...

É bem comum eu escrever enquanto converso com os amigos no msn, ouço música, como um biscoito e ainda respondo quando meu pai chama. É uma coisa engraçada e até absurda de pensar.
Quem consegue estar na sala de aula e não dar uma olhadinha no celular? Ou não ouvir música enquanto toma banho, escova os dentes e penteia o cabelo?
Ou nosso cérebro se adapta à nossa nova realidade, ou teremos uma geração de pessoas mais burras, desatentas e mais propensas a erros. Tenho medo disso porque faço parte dessa geração. =O

Ana Lu disse...

Nossa, eu sou super dessas que querem fazer 20 coisas ao mesmo tempo. Mas geralmente pras refeições eu me dedico, haha. E cara, 2 abas abertas é uma utopia pra mim, tenho sempre no mínimo 3, hahaha.
Beijos!

Rafa disse...

Não consigo fazer várias coisas ao mesmo tempo. Faço, no máximo, duas coisas. De resto, eu evito. Se eu não prestar atenção no que estou fazendo, aquilo sai uma bagunça e feito de qualquer jeito. Sou perfeccionista demais pra isso! ):
Gostei do blog e tô te seguindo :D

Beijos!

Juliana Romano disse...

A 5 minutos atrás eu estava pensando comigo mesma "meu navegador precisa comportar mais abas abertas".
Detalhe: isso porque estou com 2 navegadores abertos.
Sem contar que enquanto lia um outro blog ainda hoje, eu percebi que desenvolvi uma técnica de leitura dinâmica. haha eu "como" algumas palavras..
O mais bizarro de tudo é que eu não sei por qual motivo eu tenho que ler tão rápido, do que eu estou correndo!
É bizarro, mas a gente é bombardeado de informação 24 hrs por dia, por todos os meios possíveis, e minha cabeça não aceita o fato de não conseguir consumir tudo isso!

Tenso! rss
Beijos!

Franciny disse...

amei o seu blog. eu faço varias coisas ao msm tempo, as vezes eu me atrapalho até! kkkkkk
estou te seguindo! se puder me seguir tbm, agradeço :]

Ill Circus disse...

No computador consigo fazer várias coisas ao mesmo tempo, mas preciso de uma mão livre quando começo a correria no "mundo offline". Não dá pra mim. Eu sofro de ansiedade e esse negócio de fazer tudo ao mesmo tempo só me rende dores musculares. Olha, tende a piorar. A tecnologia exige cada vez mais das pessoas, o mundo será engolida pela loucura do tempo :P

Matheus Rufino disse...

Por mais que não seja realmente multitask, porque sou preguiçoso demais pra fazer várias coisas ao mesmo tempo [mal consigo fazer uma só às vezes], acho que por culpa da internet, adquiri essa neura de não conseguir fazer coisas do mundo real sem tá conectado à internet, ouvindo música, ou baixando alguma coisa, rs. E de achar que estou perdendo tempo se to fazendo uma coisa só e não to consumindo mais nenhuma informação, mas isso melhorou bem, eu ficava realmente incomodado se estivesse em casa com o computador desligado ou se ficasse mais do que alguns minutos sem me atualizar nas redes sociais ou ler alguma coisa/deixar de checar por muito tempo uma aba aberta... etc, agora tenho até me forçado a melhorar isso, quando vejo que abri muitas abas no navegador, saio fechando, me mando por e-mail os links abertos que sei que não vou ler no momento e sempre que percebo que o computador não precisa ficar ligado, o desligo. Sinto um certo alívio quando consigo me desconectar um pouco, me sinto menos prisioneiro da tecnologia/informação.

Mas algumas coisas ainda são quase impossíveis, como chegar em casa e não ligar o computador, ou não levar o ipod pra onde quer que estiver em casa [e ficar coferindo as atualizações nele], também não consigo abrir o navegador e abrir apenas uma aba, fazer o que tiver que fazer nela, fechar e abrir outras, são sempre umas três de uma vez, pelo menos. Mas to melhorando, to melhorando...