terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Um Ano


“Conhecia as regras do escrever, sem suspeitar as do amar, tinha orgias do latim e era virgem de mulheres.”
Machado de Assis

Sempre fui um menino romântico. E não falo de escrever cartas ou mandar flores. Falo de idealizar uma história de amor. Que é, afinal, o que todo mundo quer. Viver uma grande história de amor. Ainda mais alguém como eu, que cresci arruinado pelo cinema americano e pela televisão brasileira. Então eu sempre achei que um dia minha grande história de amor iria acontecer. Enquanto isso, escrevi. Escrevi contos, romances... Falava de coisas que eu não conhecia. E não dava muito espaço às mulheres. Meninas, né? Não dava muito espaço... Porque sempre fui muito exigente e me levava a sério demais. E nenhuma ali se encaixava no papel que eu estava procurando. E quando você apareceu, achei que não íamos longe, e tentei ir com calma, pra gente não se machucar. Mas você era diferente e em pouco tempo eu já tinha percebido que era impossível lutar contra isso. Eu estava amando. Talvez, pela primeira vez.

4 comentários:

Gabriela Petrucci disse...

Parabéns pelo "um ano", Gabriel! :D
Lembro de quando desejei felicidades no Orkut, hoje renovo meus votos, então!

Beijos

(essa foto de vocês é linda!)

Poliana disse...

Billoca!!
Ficou lindo o texto.
Feliz aniversário de namoro pra você e pra Théti! Que venham muuuitos outros!! E continue sendo esse cara romântico que é; é muito mais fácil (e mais gostoso) se apaixonar todo dia por alguém assim! Sorte da Théti!!

Bárbara Ribeiro disse...

Lindo!! sem mais.

Esthéfane Moraes disse...

Tô aqui meio tonta ainda! JURA QUE GANHEI UM POST SÓ PRA MIM AQUI! Hahahahah
Obrigada pelo texto, pelo almoço, pelos 365 dias mais doces da minha vida.
Quero muito mais ;)